Conceito de Reciclagem

 A reciclagem é o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto. Muitos materiais podem ser reciclados através do processo de briquetagem, e os exemplos mais comuns são os cavacos dos mais diversos tipos de metais. As maiores vantagens da reciclagem são: a minimização da utilização de fontes naturais, muitas vezes não renováveis, e a minimização da quantidade de resíduos que necessitam de tratamento final, como aterramento, ou incineração. O conceito de reciclagem serve apenas para os materiais que podem voltar ao estado original e ser transformado novamente em um produto igual em todas as suas características.
A cada ano que passa, aumenta a quantidade de resíduos descartados na natureza sem qualquer tipo de tratamento ou reaproveitamento. Isto resultou na criação de rígidas leis e normas internacionais para a proteção ambiental, cuja fiscalização cada vez mais presente e atuante, gerou uma profunda mudança operacional dentro das empresas, as quais foram obrigadas a tratar ou reciclar todos os seus resíduos. As briquetadeiras TECNOBRIQ foram desenvolvidas para contribuir neste esforço global de proteção ao meio ambiente, compactando uma grande variedade de resíduos industriais, transformando-os em briquetes para serem utilizados como matéria-prima reciclável.

Abaixo estão alguns exemplos de materiais e suas características de reciclagem através do processo de compactação na forma de briquete.

Ferro Fundido | Aço:
Os briquetes gerados a partir de cavacos de usinagem do Aço ou Ferro Fundido, devido a sua sólida consistência, podem ser tratados como matéria-prima de primeira (a exemplo do gusa e da sucata de primeira), com a vantagem de já apresentar-se na liga correta para fusão, pois originou-se das próprias peças fundidas. Pode também ser vendido (empresas de usinagem) com um valor muito maior do que o cavaco solto teria. Além disto, todo o óleo de corte recolhido durante a compactação retorna filtrado para a usinagem, sem custo.

 

Alumínio
 | Silício | Magnésio | Zamac:
A geração de briquetes a partir dos cavacos de usinagem de Alumínio, devido ao seu alto índice de reaproveitamento durante a fusão (> 96%), constitui em um dos processos de reciclagem que apresenta maior rentabilidade econômica. Com enormes reduções de volume durante a compactação, permite seu armazenamento em espaços muitas vezes menor que o ocupado pelo cavaco. Além disto, todo o óleo de corte recolhido durante a compactação retorna filtrado para a produção, sem necessidade de uso de aditivos especiais.

 

Cobre
 | Bronze | Latão:
O Cobre e suas ligas mais conhecidas, o Bronze e o Latão, são materiais que possuem alto valor comercial, e portanto, estão entre os materiais que trazem maior retorno financeiro em seu processamento. Quando usinados utilizando óleo lubrificante mineral (não solúvel em água), deve-se ter o cuidado de lavar previamente os cavacos em água quente antes do processo de briquetagem, caso contrário os briquetes irão reter um volume substancial de óleo no seu interior, prejudicando o uso futuro (fusão).

 

Pós Metálicos:
Os Pós Metálicos resultantes de processos abrasivos de acabamento (esmerilhação, lixação, rebarbação, etc.) também podem ser briquetados e refundidos, apresentando excelente rendimento na sua fusão. Nestes materiais é importante manter o volume de contaminantes não metálicos (partículas dos abrasivos, óxidos em pó, tintas, etc.) o mais baixo possível, para que a sua reutilização seja proveitosa. Caso seja necessário, uma aeração irá remover os materiais contaminantes (mais leves), deixando apenas o metal em pó (mais pesado) limpo para briquetagem.



Cavacos da Usinagem

 
Devido a utilização cada vez maior de equipamentos para usinagem de alta performance, a aplicação de fluidos de corte em abundância durante o processo tornou-se uma necessidade obrigatória, sendo que os cavacos resultantes desta operação são coletados completamente impregnados de óleo de corte. A reciclagem (refusão) do cavaco desta forma é praticamente impossível, primeiro pelo alto volume de óleo existente, que entrará em combustão durante o aquecimento dos cavacos no forno, gerando uma grande quantidade de fumaça nociva à saúde e prejudicial ao meio ambiente, saturando rapidamente as unidades de filtragem da exaustão dos fornos. Além disto, a redução de volume do cavaco (até 80% do inicial) durante a fusão reduz muito a capacidade final de produção dos fornos.

 
Entretanto a utilização de cavacos briquetados muda completamente este cenário. Após sua compactação, os briquetes permanecem com apenas uma fração minúscula do volume inicial do óleo de corte, gerando uma emissão de fumaça praticamente nula. Os briquetes podem ser utilizados como se fossem sucata de primeira qualidade, ainda mais pelo fato de já se encontrarem na liga correta e não ser um material desconhecido. A utilização dos briquetes pode alcançar até 30% da carga do forno sem nenhum problema operacional. Os briquetes, devido a sua alta densidade, formam perfeitamente o campo indutivo nos fornos elétricos, e no caso do seu uso com fornos a chama (cubilôs ou rotativos), a utilização é praticamente obrigatória devido ao alto grau de oxidação no uso de cavacos soltos.

 
Dependendo do tipo de metal e do formato do cavaco, o briquete pode ocupar apenas 1/6 a 1/3 do volume original ocupado pelo cavaco, resultando em áreas muito menores para estocagem. Se caso contrário, a intenção for vender os briquetes, o mesmo caminhão que antes transportava uma determinada quantidade de cavacos, agora pode levar de 3 a 6 vezes mais peso em briquetes, os quais tem um valor de venda muito maior que o do cavaco solto, pois não se trata mais de resíduo e sim de matéria-prima, isto sem considerar o reaproveitamento do óleo de corte que antes não existia.

Veja abaixo as principais vantagens em reciclar cavacos, transformando-os em briquetes:
 
• Recuperação de até 98% do óleo de corte de grande valor;
• Aumento de até 33% no rendimento da fusão (queima);
• Redução do consumo de energia elétrica para fusão em até 29%;
• Redução de até 90% na emissão de fumaça durante a fusão;
• Redução na aquisição de matéria-prima (gusa / lingotes) ou sucata em até 30%;
• Aumento no valor de venda dos cavacos (só usinagens) em até 200%;
• Redução no volume ocupado em até 6X;
• Maior facilidade na movimentação;
• Redução na área de estocagem;
• Prevenção de problemas com fiscalizações ambientais.

Óleo de Corte da Usinagem


 
Antes de Briquetar
Tambores com cavacos soltos impregnados de óleo de corte, onde já aparece um vazamento para o piso da fábrica.
O óleo de corte utilizado na usinagem é resultante de um emulsionamento de óleos vegetais (ou sintéticos) solúveis em água. Como todo composto orgânico, os óleos vegetais quando em contato com o ar (oxigênio), iniciam um processo de apodrecimento e formação de bactérias decompositoras, que além de exalarem mau cheiro, são prejudiciais a saúde e ao meio ambiente.

Quando os cavacos são briquetados, a alta pressão de compactação expulsa praticamente todo óleo de corte ali existente, permanecendo apenas um valor residual de 1 a 2% da proporção inicialmente encontrada. Este óleo expulso dos cavacos é então coletado, filtrado e bombeado pela Briquetadeira até um tanque de coleta, para depois ser reutilizado.


 
Depois de Briquetar
Vários tambores de cavacos compactados em apenas um tambor de briquetes e o óleo de corte separado para reutilização.

Um detalhe importante é, que quanto mais rapidamente o cavaco for briquetado após a sua usinagem, maior será a taxa de recuperação da emulsão, pois com o passar do tempo, a água evapora restando apenas o óleo, o qual é muito mais difícil de expulsar por compressão.

Como os óleos solúveis possuem um valor elevado para aquisição, o uso do cavaco briquetado constitui-se também numa solução muito econômica para o reaproveitamento destes óleos.



Links sobre Reciclagem

            


              



Links sobre Meio Ambiente

                



http://www.tecnobriq.com/reciclando